Precisamos encolher Brasília! A aplicação do Estado Mínimo no Brasil economizaria bilhões e combateria a corrupção.

Brasília centraliza todas as decisões referentes às nossas vidas. Legisla até sobre nosso lazer e como educamos nossos filhos. Concentra o dinheiro arrecado e o converte em mordomias que sustentam sua burocracia.

Muitos dizem, com sabedoria, que os problemas do Brasil se agravaram com a migração do poder central para Brasília. Os políticos foram isolados em um bunker e protegidos de qualquer pressão do cidadão. Quando não querem nos ouvir, eles simplesmente se cercam com grades e fecham a Esplanadas dos Ministérios.

O que parece ser um detalhe, é uma das causas dos males que sofremos hoje: o caos político, a corrupção endêmica, a pouca vergonha da classe política, a promulgação de leis que vão em sentido oposto às necessidades do cidadão e, acima de tudo, o florescimento do Populismo e Totalitarismo, que tomaram conta de nosso país nas ultimas décadas.

Os políticos afastaram-se do povo e protegeram-se criando um Estado forte, centralizador, inchado de asseclas e apadrinhados e altamente custoso.

O resultado é que hoje o cidadão é impotente para promover as mudanças necessárias, para conter os abusos.

Devemos pressionar para que reformas sejam feitas urgentemente e mecanismos de defesa para o cidadão sejam incluídos em nossa Constituição como, por exemplo, o dispositivo de RECALL, que nada mais é que o voto de não confiança. O politico eleito não cumpriu as promessas de campanha, mostrou incompetência ou foi desonesto no exercício de suas funções.

O povo não pode mais ser refém de maus políticos!

Nossa Constituinte legisla sobre tudo e, consequentemente, é ineficiente e totalitária.

Brasília não deve legislar por tudo. Deve ater-se às questões de soberania, de segurança nacional e questões macroeconômicas.

É preciso tirar o poder de Brasília. Empoderar o eleitor. Como? Fazendo do Federalismo uma realidade, e não apenas um nome que nada significa na prática.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here